O que eu faço 

Eu ofereço serviços que fazem parte do Projeto de Vida de pessoas com deficiência intelectual na fase jovem adulta. Atuo com as seguintes metodologias: Emprego Apoiado, Linguagem Simples / Fácil Leitura e Mediação Assistiva.

01.

 Para Empresas 

Há mais de 10 anos atuo como consultora e assessora com foco em empregabilidade de pessoas com deficiência intelectual utilizando a metodologia do Emprego Apoiado.

Atendo empresas e pessoas com deficiência intelectual com perfis diferentes, sempre procurando um alto índice de retenção, pois empresa e colaborador estão atendendo os seus objetivos e com abertura para ultrapassar desafios que a inclusão propõe.

O trabalho envolve. 

Diagnóstico, recomendação, orientação e estratégias de execução.

O que ofereço.

Consultorias, palestras e formações na área de acessibilidade e empregabilidade da pessoa com deficiência intelectual

Estou sentada ao lado de três pessoas. Entre elas, uma pessoa com Síndrome de Down. Ao fundo, parede com o símbolo JC1.

Em 2019, participei do Jornal da Cultura ao lado de Caio Zanzini,
do Bento Zanzini - pai do Caio, também Joyce Ribeiro, âncora do jornal.

Estou em uma área fechada. Há uma tarja marrom com texto. Na parte inferior, há o logo da TV Cultura.

Em 2019, participei do Jornal da Cultura para falar sobre trabalho e autonomia

Um dos momentos da minha participação no evento World Down Syndrome Day em comemoração do Dia Internacional da Síndrome de Down. O encontro foi na ONU-NY em março de 2017

Um dos momentos da minha participação no evento World Down Syndrome Day em comemoração do Dia Internacional da Síndrome de Down. O encontro foi na ONU-NY em março de 2017

Estou em pé e seguro um microfone em frente a uma plateia em uma área fechada.  Ao fundo, uma parede com apresentação.

Em novembro de 2019, fui palestrante do evento T21 Autonomia na Vida Adulta em que falei sobre empregabilidade e Emprego Apoiado.

 
02.

 Para Pessoas com
Deficiência Intelectual 

Para mim é importante estar com as pessoas buscando experiências novas, acompanhando a construção e a conquista da autonomia para que a família e a pessoa com deficiência intelectual possam viver em plenitude.

      

Ter a oportunidade da troca e da vivência faz com que eu exercite o tempo todo sair do meu lugar de conforto e pensar em estratégias novas e concretas.

Por isso, há mais de 10 anos, faço mediação de grupos de adultos com deficiência intelectual (são pessoas acima de 18 anos).

O objetivo é trabalhar a autonomia e o Projeto de Vida deles, sempre utilizando a comunidade com espaço de descoberta e desafios.

Os encontros (online ou presenciais) acontecem onde é possível exercitar a autonomia. É importante destacar que os presenciais acontecem em espaços públicos - o espaço é um recurso para o exercício da autonomia, como bibliotecas, praças, shoppings, entre outros.

Contamos sempre com a participação ativa dos membros no planejamento de tudo que é feito.

Estou em pé em frente a um grupo de pessoas que realizam a mesma atividade. Ao fundo, há algumas pessoas sentadas.

Neste dia, participei do I Encontro de autodefensores da Federação Brasileira das Associações de Síndrome Down, colaborando na mediação e no trabalho em grupo.

Estou sentada ao redor de uma mesa com três pessoas em uma sala.

Neste dia, realizei uma mediação com pessoas com deficiência para conseguir informações sobre um curso no SENAI.

 
03.

 Para Famílias 

Faço mediação de grupos de familiares de pessoas com deficiência intelectual. Os encontros são sobre temas de interesse e necessidade de cada grupo.

Um dos grandes benefícios do trabalho em grupo é a construção e a formação de uma rede de apoio. No dia a dia é possível observar a importância do apoio, da não solidão e do entendimento das possibilidades que temos acesso.

O grupo conta com orientações, informações atualizadas e reflexões sobre os temas escolhidos para serem trabalhados.

Os encontros (virtuais ou presenciais) são mediados por mim e a minha parceira Cátia Macedo, psicóloga.

Estou com um grupo de pessoas em uma sala. Algumas estão sentadas e outras em pé. A maioria sorri.

Encontro de final de ano com familiares, profissionais e pessoas com deficiência intelectual, que estiveram presentes em projetos que eu e Cátia Macedo realizamos ao longo de 2017.

 
 
04.
 Para Organizações Sociais 

Faço workshops, consultorias, formações, assessorias e palestras para profissionais, organizações sociais e Residências Inclusivas. Esse trabalho é realizado em parceria com diversos profissionais, como as psicólogas

Daniela Karmeli (perfil no Instagram: @dani_karmeli) e Regiane Silva (perfil no Instagram: @colaboradiversa).

O trabalho é realizado de forma presencial ou virtual. Os temas são variados e fazem parte da minha prática e dos estudos relacionados com o foco no papel de apoio para o protagonismo da pessoa com deficiência intelectual na fase adulta e de envelhecimento.

Também colaboro para a construção de materiais acessíveis, vídeos, usando o método de Fácil Leitura (Easy Reader) em parceria com pessoas com deficiência intelectual.

 

A metodologia conta com validação de pessoas com deficiência intelectual. Ela  acontece por meio de encontros para leitura dos materiais e revisão dos recursos de acessibilidade.

Os temas que trabalhamos nos encontros:

Conceito de deficiência atual
Histórico da pessoa com deficiência e os paradigmas relacionados. Acessibilidade
Autonomia para vida adulta
Teoria dos apoios
Vulnerabilidade
Envelhecimento
Trabalho e comunicação em equipe
Empregabilidade (uso da Metodologia Emprego Apoiado Autogestão)
Autodefensoria

WhatsApp Image 2019-09-02 at 19.36.43.jp

Aula que eu dei sobre deficiência intelectual e autonomia para alunos do curso de Psicologia da Faculdade Anhanguera.

Estou em pé com um microfone sobre um palco. Ao fundo, há bandeiras do Brasil e Estado de Santa Catarina e banner.

Em 2019, realizei uma palestra sobre Emprego Apoiado e Vida Adulta no evento em comemoração do Dia Internacional da Síndrome de Down, em  Florianópolis, Santa Catarina.

Estou em pé e aponto para uma apresentação em uma área fechada.

Palestra que fiz sobre o movimento de autodefensoria no Brasil para um grupo de autodefensores da Federação Brasileira das Associações de Síndrome Down.

Estou em pé, seguro um microfone ao lado de uma apresentação. Ao lado, há uma mesa com outras pessoas.

Em 2015, realizei uma palestra sobre autodefensoria no Encontro Internacional de Boas Experiências  Com Pessoas com Deficiência Intelectual, em Quito no Equador.